Yin Yang -Bases do conhecimento da Medicina Tradicional Chinesa.

Breve introdução aos conceitos de MTC – Yin Yang

Todo o conhecimento acumulado e todas as técnicas desenvolvidas pela Medicina Tradicional Chinesa tem por base um tripé: A cíclica transformação da força dos dois opostos, Yin Yang, que faz tudo se mover; A espécie de fluxo essencial chamado Qi (Ch’i), que faz tudo existir; os Cinco Movimentos (ou elementos) que são Água, Madeira, Fogo, Terra e Metal.

Neste post vamos falar, enfim, sobre Yin Yang.

Yin Yang

Antes de mais nada, Yin Yang são conceitos do taoismo que expõem a dualidade de tudo que existe no universo. São, de fato, duas forças fundamentais opostas e complementares que se encontram em todas as coisas: o Yin é o princípio feminino, noite, a passividade, absorção. O Yang é o princípio masculino, dia, a luz e atividade.

O conceito Yin/Yang é, sem dúvida, o conceito fundamental de todas as ciências orientais que corresponde à condição essencial para a origem de todos os fenômenos naturais como o dia e a noite, o princípio da energia e da matéria. Estas energias estão, portanto, presentes em tudo o que existe, tudo o que é manifestado. Yin Yang estão em constante mudança e transformação, são opostos, complementares e interdependentes.

Yin e Yang

Yin Yang representam, assim, o movimento de rotação da terra que é girar em torno do seu próprio eixo: fazendo o dia e a noite. Se a Terra parasse de girar, um lado ficaria voltado para o Sol e o outro para o Universo, o que impossibilitaria, certamente, a vida neste planeta.

A forma e a natureza de Yin e Yang podem ser representadas pelo Tai Ji, que representa a polaridade universal, claro e escuro, contráctil e expansivo, inativo e ativo. O termino e o começo são, sem dúvida, distintos nas suas origens. Entretanto, o inicio de uma coisa pode ser considerada o fim de outra. Tai Ji simboliza a unidade primordial cuja interação dos seus elementos é responsável por todos os fenômenos do universo.  

Quatro aspectos do relacionamento Yin-Yang:

  • Oposição do Yin e Yang: contradição que se constitui na força motriz de toda mudança, desenvolvimento e deterioração dos fenômenos. Entretanto, a oposição é relativa e não absoluta, pois tudo contém a semente do seu oposto.
  • Interdependência do Yin e Yang: embora sejam opostos, são interdependentes, pois um não pode existir sem o outro. Observa-se, por exemplo, que não há atividade sem descanso, contração sem expansão, etc.
  • Consumo mútuo: o Yin e o Yang devem estar em constante equilíbrio. Contudo, há quatro estados passíveis de desequilíbrio: preponderância do Yin; preponderância do Yang; debilidade do Yin; debilidade do Yang.
  • Inter-relacionamento:  Yin o Yang não são estáticos, mas transformam-se mutuamente. Essa mudança, todavia, acontece somente em determinados estágios do desenvolvimento. Por exemplo: o verão se transforma em inverno, a vida em morte, etc.

 

Referencias bibliográficas:

DE BARROS, L.C. Medicina Chinesa- Acupuntura e Fitoterapia. Editora Caras; São Paulo, 2004.

MACIOCIA, G. Os Fundamentos da Medicina Chinesa – Um texto Abrangente para Acupunturistas e Fitoterapeutas. ROCA, São Paulo, 2007.

PERINI, M. Terapia Dietética Chinesa. Edições Loyola. São Paulo, 2003.

WEN, T. S., Acupuntura Clássica Chinesa, Cultrix São Paulo, 2009. Cap.2

VECCHI, V. Dermatite Acral por Lambedura de Origem Psicogênica em Cães. Monografia (pós graduação) – INSTITUTO QUALITTAS. São Paulo, 2017.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *